Carlos Tavares: Prejuízo dos EUA, Trump em risco e a reabertura dos cassinos

PERDAS DOS EUA

Pelas estatísticas oficiais de ambos os lados, pode-se avaliar quanto os próprios EUA se arriscam a perder com essa absurda guerra comercial com a China, afetando outros países. As medidas e declarações do presidente Trump deixam perceber que pretende evitar, em seu governo, a consolidação da superpotência asiática na liderança da economia mundial. Em 2017, o comércio bilateral (o maior do mundo) cresceu 15,2%, somando U$ 583,7 bilhões, com as importações chinesas aumentando 17% e as exportações, 14%. Mas, 40% do elevado superávit chinês (U$ 375 bilhões) ficou com empresas americanas e esse próspero intercâmbio gera mais de 1 milhão de empregos nos EUA, sendo que o mercado chinês recebe 26% dos aviões da Boeing, 16% dos carros e 56% da soja produzidos. Na balança de serviços o superávit americano alcançou U$ 54 bilhões e os 3 milhões de turistas chineses gastaram U$ 33 bilhões. Em resultado extraordinário, são 350.755 jovens chineses que estudam em universidades americanas.

TRUMP CULPADO

Recente artigo do Financial Times (Valor 22/6) assinala que o presidente Trump está fomentando nova geração anti-americana, acentuando : “o prestígio dos EUA entrou em queda livre desde que ele assumiu o cargo“. Por seu turno, o professor Bradford, da Agência de Pesquisa Econômica dos EUA, em outro artigo, ao afirmar que “os EUA deixaram de ser a maior superpotência mundial”, acrescentou : “ Trump é inequivocamente incapaz de executar as tarefas de seu cargo de boa-fé ”. E conclui : “ A Câmara dos Deputados e o Senado dos EUA já deviam ter movido impeachment contra ele”. Já neste mês, outra personalidade importante, Jeffrey Sachs ( Universidade de Columbia), igualmente em artigo assinalou que Trump “Não deveria permanecer no cargo”. E o editor do FT, Martin Woff, iniciou editorial com a referência: “é um ignorante perigoso... “.

TURISMO / CASSINOS

Em artigo publicado em suplemento do jornal O Globo, citando Macau – maior centro mundial de cassinos – o ministro do Turismo Vinicius Lummertz, afirmou que a reabertura do jogo poderia atrair, de imediato, investimentos de R$ 50 bilhões (U$ 12 bilhões) e criar mais de 100 mil empregos. De fato, a cidade chinesa de Macau é excelente exemplo com seus 37 magníficos cassinos da iniciativa privada, alguns em resorts, com teatros, shows, lojas e restaurantes. Este ano, até junho, registrou crescimento de 18,9% com faturamento de U$ 18,6 bilhões. No final do exercício, totalizando cerca de 32 milhões de turistas visitantes, o faturamento deverá superar U$ 36 bilhões (três vezes Las Vegas), com 35% de arrecadação tributária. Esses resultados(turistas/faturamento), certamente representarão mais de seis vezes os que serão apurados no Brasil.



menu
menu