Histórico



FCCE: Ilustres protagonistas e um breve histórico

A FCCE foi fundada no mês de agosto de 1950 pelo empresário João Daudt de Oliveira, o mesmo que, quatro anos antes, fundara a Confederação Nacional de Comércio. Além de tradicional, a FCCE sempre esteve em muito boa companhia. Era sediada inicialmente nas mesmas instalações ocupadas pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), talvez a única associação de classe que se pode dar o luxo de existir desde o Primeiro Reinado, sendo, portanto, a mais antiga do gênero.

A FCCE sempre deu o suporte internacional à ACRJ, principalmente em função de o seu presidente acumular, à época, também, a presidência da Confederação das Associações Comerciais do Brasil, que reunia mais de mil Associações Comerciais Municipais espalhadas pelo Brasil. Nesse mais de meio século de existência, a Federação das Câmaras de Comércio Exterior apresenta uma relação de dirigentes do mais alto gabarito, destacando-se o seu grande incentivador, o empresário que realmente deu dimensão nacional à Entidade, que é Ruy Barreto.

Tendo como “grandes beneméritos” as personalidades de Carl Fischer, General Edmundo de Macedo Soares e Silva, Paulo Ferraz, Lauritis Lachmann, João Correia da Costa e o eterno incentivador Sylvio Piza Pedrosa, a FCCE ostenta hoje um Conselho Superior formado por quinze membros vitalícios que dispensam qualquer tipo de apresentação. Eles representam o que há de mais importante e histórico dentro da atividade de comércio exterior no Brasil, em todas as áreas e em todos os campos de atuação, privado ou público.

É importante ressaltar que, durante todos estes anos de existência, a FCCE sempre prestou seus serviços a todas as câmaras bilaterais, consulados estrangeiros e conselhos empresariais, de forma absolutamente gratuita!

Durante as duas últimas décadas, tendo em vista um convênio de cooperação firmado com Confederação Nacional de Comércio (CNC), que fornece o suporte necessário para a efetivação dos trabalhos da FCCE, o número de câmaras bilaterais associadas passou de pouco mais de uma dezena para mais de 80 em todo o Brasil, sediando, inclusive, em suas instalações, câmaras bilaterais da importância de Brasil-Turquia, Brasil-Hungria, Brasil-Ucrânia, Brasil-Bielorússia, Brasil-México, Brasil-Aruba, Brasil-Grécia, entre outras.

Objetivando a melhora em seu atendimento, dando suporte sempre que solicitado, a qualquer câmara bilateral de comércio, independentemente de seu tamanho ou potencialidade comercial, a FCCE procura sempre se atualizar, participando do atual e expressivo incremento do comércio exterior de nosso país, apoiando e tomando parte em todas as ações – públicas ou privadas –que possibilitem atingir um patamar realmente condizente com as aspirações de nosso povo.



menu
menu