Em contraste com indicadores, boa fase das exportações continua

Enquanto os principais indicadores econômicos seguem patinando, a boa fase da balança comercial brasileira continua. Nesta segunda-feira é esperado que os números de junho mostrem que as exportações superaram as importações em 7 bilhões de dólares, após o superávit de 7,7 bilhões de dólares em maio.

A balança tem sido superavitária desde o início da crise — que derrubou as importações devido a redução da demanda por produtos e serviços. Neste ano, as exportações estiveram entre as principais causas do crescimento de 1% da economia brasileira no primeiro trimestre. Segundo projeções do banco Haitong, se não fossem as exportações, o PIB do primeiro trimestre teria tido um resultado negativo de 0,5%.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

A tendência é que a balança continue superavitária, já que as exportações têm crescido significativamente. Isso se dá tanto pela demanda mais aquecida por produtos brasileiros quanto pela safra recorde de grãos.

A exportação também tem sido a salvação de setores nos quais levar produtos para o exterior tratava-se de algo mais raro. Esse é o caso do setor automotivo, no qual a exportação teve uma expansão de 61,8% nos primeiros cinco meses do ano, somando 307.000 unidades.

Em maio, as exportações foram destino de quase um terço do total fabricado. Enquanto no mercado interno a insegurança política e econômica têm impedido empresários e consumidores de movimentar a economia, a exportação continua sendo o alento da indústria brasileira.



menu
menu