Governo vai leiloar 6 distribuidoras da Eletrobras antes de privatizar estatal

O secretário de coordenação de projetos do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou nesta terça-feira (12) que o plano de venda de 6 distribuidoras da Eletrobras que atuam no Norte e Nordeste está mantido mesmo com a decisão do governo de incluir a estatal de energia dentro do novo pacote de privatizações.

“Elas devem ir a leilão em fevereiro ou março, antes do leilão da Eletrobras”, disse em palestra no 15º Fórum Latino-Americano Brasileiro de Liderança Estratégica em Infraestrutura, que acontece em São Paulo.

As seis distribuidoras que serão colocadas à venda são: Amazonas Distribuidora de Energia, Boa Vista Energia, Companhia de Eletricidade do Acre, Companhia Energética de Alagoas, Companhia de Energia do Piauí e Centrais Elétricas de Rondônia. A Eletrobras é a acionista majoritária nas seis.
Segundo Freitas, a modelagem da venda dessas distribuidoras deverá ser apresentada a partir do final de outubro.

Segundo ele, a venda dessas distribuidoras, que hoje são deficitárias, ajudará a tornar o balanço da Eletrobras “mais amigável” e aumentará a atratividade da privatização da estatal.

As 6 distribuidoras já estavam na carteira do PPI, mas o modelo de venda ainda está sendo formatado.

Os recursos provenientes destes leilões irão para o caixa da Eletrobras. O secretário explica, entretanto, que as transações podem resultar apenas em transferência de dívida para o comprador. “Para poder passar as companhias. O esforço está sendo para empatar o jogo”, afirma.

“Obviamente, isso vai tirar um passivo muito grande do balanço da Eletrobras e tornar a empresa mais atrativa”, acrescentou.

Cronograma

Segundo o secretário, o governo estima que irá realizar até o final do ano mais 25 leilões de projetos de concessões e privatizações dentro do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).
“Vamos chegar ao final do ano com pelo menos 74 projetos completos”, disse, destacando que 49 leilões da carteira de mais de 120 projetos do PPI já foram concluídos desde o ano passado.

No final de agosto, o governo anunciou um novo pacote de privatizações com a inclusão de mais 57 bens estatais na carteira de projetos do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Na lista de ativos que serão colocados à venda ou concedidos ao setor privado estão aeroportos, rodovias, portos, a Eletrobras, a Lotex (raspadinha) da Caixa Econômica Federal e a Casa da Moeda.

A expectativa do governo é obter pelo menos R$ 60 bilhões em bônus com os leilões até o final de 2018. O objetivo é de elevar as receitas do governo em um momento de arrecadação fraca, e usar esses recursos para tentar cumprir a meta fiscal, de déficit primário de R$ 159 bilhões em 2017 e 2018.

O governo estima que 13 dos 57 projetos poderão ser concedidos à iniciativa privada até o final do ano, além de outros 6 projetos que já faziam parte da carteira do PPI.



menu
menu