Henrique Meirelles diz que sociedade ainda não incorporou melhora da economia brasileira

RIO - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira que a sociedade ainda não incorporou a melhora da economia brasileira. Ele explicou que, diante da maior recessão da História do país, leva um tempo até que a população possa sentir os efeitos da recuperação. Ao participar de entrevista na rádio Jovem Pan nesta sexta-feira, ele citou Nelson Rodrigues e afirmou que “nada é mais brutal que o fato”, afirmando que “o fato é que a inflação de 2017 foi a mais baixa desde 1988”. A inflação brasileira fechou 2017 em 2,95%, o menor nível em duas décadas.

— O fato é que a percepção ainda não dá (...), a percepção da sociedade ainda não incorporou totalmente o que já aconteceu. Aqui gosto de lembrar o Nelson Rodrigues: ‘Nada mais brutal que o fato’. E o fato é que a inflação de 17 foi a mais baixa desde 1988, a inflação para as classes de renda mais baixa foi a menor da história. O fato é que o Brasil já cresceu 1% no ano passado, e as previsões do Boletim Focus para esse ano se aproximam de 3%. Então existe uma realidade que é que o Brasil está crescendo. E existe outra realidade que a sociedade ainda não incorporou esse fato, o que é absolutamente normal.

Meirelles admite disputar Presidência contra Temer, mas diz que melhor estratégia é candidato único do governo

CALCULADORA: Confira a inflação de 373 itens entre 2015 e 2017

Meirelles admitiu que ainda tem muita gente desempregada — o Brasil fechou 2017 com 13,23 milhões de desempregados, em média . Assim, disse ele, apesar do aumento do emprego, o impacto na população leva mais tempo:

— A inflação estava muito alta e, no devido tempo começa a ser percebido, é absolutamente normal acontece em qualquer país do mundo. O que não é normal é termos tido a maior recessão da história do Brasil. E ainda tem muita gente desempregada, Está se criando muito emprego, mas ainda tem desemprego. O Brasil teve uma economia que contraiu 8%. Está crescendo sim,. mas leva um tempo até que a população possa sentir isso. Os efeitos da recuperação começam a ser mais espalhados.

Para além da previsão de crescimento de 3% da economia brasileira em 2018, Meirelles também afirmou que devem ser criadas 2,5 milhões de vagas de trabalho este ano. Ao ser perguntado sobre o que fazer para se ter o Brasil “que merecemos”, ele destacou a importância de manter o caminho das reformas e a geração de empregos:

— A melhor política social e o que dá dignidade é um bom emprego, que permita exercer sua potencialidade e criar sua família. E portanto precisa de inflação controlada para manter seu padrão de vida.

Questionado sobre o que faltava para entrar “em campo” na disputa presidencial, o ministro Henrique Meirelles afirmou que no momento está focado na recuperação econômica e que lidera a equipe econômica “numa disputa muito importante para a economia brasileira”:

— A imagem é muito interessante, mas na realidade a situação é muito diferente. No momento, estou concentrado em outro jogo. Estou campo, liderando a equipe econômica e disputando uma partida muito importante para a economia brasileira.



menu
menu