Carlos Tavares: dados positivos chineses, mulheres na Ásia e religiosidade exagerada

CHINA MELHOR

No primeiro semestre, o Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 6,3% - o maior do mundo – enquanto o dos EUA permaneceu em torno de 2%. Mantendo, também, a liderança mundial, a balança comercial até junho cresceu 3,9% somando US$ 2,14 trilhões, com as exportações aumentando 6,1% e as importações 1,4%. A China foi o principal parceiro comercial de 125 países e o EUA de 75. Os investimentos cresceram 5,8%, as vendas no varejo aumentaram 8,4% e a produção de valor agregado 6%. Segundo Martin Wolf, editor do Financial Times, a fabulosa produção do setor manufatureiro da China equivale a dos EUA, Japão e Alemanha, juntos.

ÁGUA, TERRA E MULHERES

Em Cingapura, na Ásia, acaba de ser realizado o fórum feminino, com o original titulo acima, patrocinado pela ONU/revista Her Times. Disse a editora-chefe da revista, Annie Song, que o título foi escolhido “porque são os elementos mais básicos da sociedade humana”. Segundo outra palestrante, a diretora Yenny Wahid, da Indonésia, “são necessárias estruturas legais para garantir que as mulheres sejam mais igualadas aos homens”. O fórum foi seguido da premiação das mulheres de destaque com o Rising Women Empowerment Award (WEA). Interessante.

RELIGIOSIDADE

Fazendo justiça ao titulo de pais mais religioso do mundo, o Brasil tem agora um presidente sob medida. Logo no discurso de posse, o presidente Messias deu o tom de seu governo, declarando “Deus acima de todos”. Agora num gesto de apoio a uma das religiões predominantes, confirmou que nomeará para o Tribunal Superior um “terrivelmente evangélico”. Vamos ver se o novo ministro consegue a remoção do emblema da outra religião predominante que indevidamente ornamenta a parede do STF ao lado dos brasões nacionais. Ministro Toffoli, o Estado não é laico?



menu
menu