Carlos Tavares: China continua crescendo, Bolsonaro favorável a cassinos e paz comercial

CHINA

Devido a guerra comercial deflagrada por Trump em 2019, a economia mundial sofreu um abalo, atingindo pouco a China, cujo PIB cresceu “apenas” 6,1% (três vezes mais que os EUA). As estatísticas que continuaram favoráveis mostraram o superavit comercial crescendo 20%, atingindo a US$ 421 bilhões, com balança (exp/imp) somando US$ 4,6 trilhões. As vendas do varejo subiram 8%, a produção industrial aumentou 5,7% e os investimentos 5,4%. Outro dado importante, que também fechou em alta, foi o registro de reservas cambiais, alcançando US$ 3,107 trilhões, com mais de US$ 1 trilhão de bônus do Tesouro americano, com saldo negativo.

BOLSONARO/CASSINOS

A bancada pró-cassinos ganhou forte apoio do Senado com a ida em missão financiada, do senador Flavio Bolsonaro à China, acompanhado do presidente da Embratur, Gilson Machado, para conversar com o bilionário Sheldon, maior contribuinte (US$ 25 milhões) da candidatura Trump. É pena que o jovem senador Rodrigues – que sempre participa do bloco com idéias avançadas – permaneça ao lado do atraso com o Equador e os estados islâmicos. Além do senador Girão.

PAZ / COMERCIAL

Discretamente, o presidente Xi, preferindo não ir a Washington, enviou significativa mensagem, dizendo que, firmada pelo vice Liu e o presidente Trump, “a primeira fase do acordo econômico-comercial é boa para a China, os EUA e o mundo inteiro”. Na realidade, a guerra deflagrada por Trump pouco afetou a China, que está em primeiro lugar das relações comerciais com a maioria dos países (126). O Brasil, no decorrer deste ano, poderá ser um pouco prejudicado nas exportações de soja e carne. No entanto, sabendo da delicada situação da economia brasileira, em recuperação, a China certamente evitará esse deslocamento de encomendas de exportações.



menu
menu