ABIEC celebra abertura do mercado dos EUA para carne bovina in natura

Encerrando uma luta de mais de 15 anos do setor, foi anunciado o tão aguardado acordo que libera a exportação de carne bovina brasileira in natura para os Estados Unidos da América (EUA). O acordo entre as duas nações foi firmado no Comitê Consultivo Agrícola Brasil-Estados Unidos, em Washington, durante visita do Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, aos Estados Unidos, na última quinta-feira, 29 de julho.

Na tarde desta segunda-feira (1°), em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, o ministro Blairo Maggi e a embaixadora dos Estados Unidos, Liliana Ayalde, fizeram a troca de cartas de reconhecimento de equivalência dos controles oficiais de carne bovina entre os dois países, com a presença do presidente da República em exercício, Michel Temer. Tanto o Brasil poderá vender o produto para os norte-americanos, quanto os EUA para o mercado brasileiro, já que seguiram procedimentos de avaliação técnica independentes, que foram concluídos no mesmo período.

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), Antônio Jorge Camardelli, acompanhou a comitiva brasileira em Washington e a cerimônia em Brasília, celebrando mais esta conquista para as exportações brasileiras. “A decisão atende à demanda e necessidades do setor e resulta do empenho e esforços conjuntos entre todos os elos da cadeia produtiva da carne bovina e, em especial, dos técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento”, afirma Camardelli.

Com o anúncio, frigoríficos de 14 Estados (Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins) e do Distrito Federal estarão habilitados a exportar carne in natura.

Atualmente, o Brasil já exporta carne industrializada para os EUA, que é um importante parceiro comercial e lidera o ranking de importadores nessa categoria de carne brasileira. Somente neste ano (janeiro a junho), foram enviadas mais de 15 mil toneladas de carne industrializada brasileira para os Estados Unidos, resultando em um faturamento de US$ 130 milhões.

Para a carne in natura, o Brasil entrará em uma cota inicial de 64 mil toneladas – que inclui também países da América Central. Os embarques devem ter início em setembro.



menu
menu