Exportação de carne para os EUA não deve elevar preço da arroba

As exportações de carne bovina in natura para os Estados Unidos devem abrir novos mercados para a pecuária brasileira, mas não vão ter impacto sobre o preço da arroba. Essa é a percepção de analistas que participam da Conferência Internacional dos Pecuaristas (Interconf), em Goiânia.

Para o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Goiás, José Mário Schreiner, o reconhecimento internacional é considerado uma das maiores conquistas do setor nos últimos anos, já que o trabalho neste sentido começou em 1999. "Sem dúvidas, isso abre oportunidades enormes ao Brasil para que a gente consiga avançar sobre outros mercados, sempre visando qualidade", disse.

Durante a abertura da 9ª Conferência Internacional dos Pecuaristas, o ministro interino da agricultura, Eumar Novacki, disse que a expansão de novos mercados é o primeiro passo de um projeto que visa aumentar de 7% para 10% a participação brasileira no mercado externo nos próximos cinco anos.

"Nós temos os espumantes, os lácteos e outros produtos que podem acessar o mercado externo. Nós queremos que o pequeno e médio produtor faça parte disso por meio do cooperativismo, investindo em assistência técnica na ponta, pesquisa e extensão rural", disse.

Eumar também afirmou que o governo vai intensificar a negociação com outros países e pode anunciar a abertura de novos mercados em breve. "O ministro Blairo Maggi está em visita à Ásia e ele retorna no dia 26 de setembro com ótimas notícias para o país, entre eles a abertura de países como Malásia, Vietnã", disse.

A abertura da Interconf marcou também a posse do novo presidente da Associação Nacional da Pecuária Intensiva (Assocon), Alberto Pessina, que vai comandar a entidade pelos próximos três anos. No discurso de posse, ele disse que a abertura do mercado americano pode trazer mais estabilidade para as exportações de carne bovina.

Na visão do analista Alcides Torres, da Scot Consultoria, o mercado americano vai ajudar a escoar a produção brasileira, mas não deve impactar nos preços internos da arroba. "Quanto mais mercados nós abrirmos e consolidarmos, melhor para nossa produção. Mas, a abertura do mercado americano não tem efeito sobre o preço da arroba no mercado interno", concluiu.



menu
menu