Com economia estável, o México oferece boas oportunidades para calçadistas brasileiros

Inflação controlada, economia estável e setor calçadista em expansão. Este é o cenário do México e que foi apresentado no último dia 22, na palestra Conexão Internacional México – uma iniciativa do Footwear Components by Brasil, promovido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) em parceria com a Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal).

A palestra foi ministrada pelo consultor de inteligência do FC by Brasil e professor do Programa de Pós-Graduação em Economia da Unisinos, Marcos Lélis. Também contou com a presença de Mirian Feijó das Neves, diretora da Empresa LYC SC e participante ativa do “Comité de Desarrollo para la Competitividad APIMEX”.

Quinto principal destino das exportações brasileiras do projeto FC by Brasil, o México é a segunda maior economia da América Latina, ficando atrás somente do Brasil. Para completar, o país é o segundo principal produtor de calçados da América Latina. Ou seja, boas oportunidades de negócios não faltam. “O México produz atualmente 245 milhões de pares de calçados por ano e vem em um ritmo de crescimento na produção calçadista, diferente do Brasil”, sublinhou Lélis. O crescimento do setor calçadista mexicano é, segundo o consultor, a grande vantagem para os produtores de matéria-prima brasileiros.

Dados

Em 2015, o México importou mais de US$ 11 milhões de componentes brasileiros do projeto. Também se destaca o aumento das exportações de calçados esportivos no país, que de 2009 a 2014 cresceram 35%. Quanto ao tipo de material predominante, destacam-se os calçados de couro, com mais de US$ 457 milhões em exportação.

De acordo com os dados do World Shoe Review, existem 2.500 indústrias de calçados formais no país e praticamente o dobro deste número de empresas informais, a maioria micro e pequenas. Segundo Mirian, do total de pares produzidos, 70% são fabricados no estado de Guanajuato e 58% na cidade de León.

Em relação à indústria do couro, o México também tem expressiva participação, possuindo atualmente o 3º maior rebanho e abate da América Latina, depois do Brasil e Argentina. O país também se destaca no setor automotivo, sendo o 7º maior produtor a nível mundial e ainda se estima um crescimento de 70% da produção de automóveis no país até 2020. Ou seja, o país apresenta grandes oportunidades para o setor de químicos para couro.

Essas e mais informações estão disponíveis no estudo completo de oportunidades do México, desenvolvido pelo FC by Brasil. Os interessados podem entrar contato através do e-mail relacionamento@assintecal.org.br



menu
menu