Agência aposta na volta do crescimento das exportações da Itália para o Brasil em 2017

Após uma queda de 17,4% em 2015, as exportações da Itália para o Brasil podem crescer a um ritmo de 3% ao ano no triênio 2017-2019, principalmente por causa dos setores de transportes, vestuário, têxtil, mecânico e químico-farmacêutico. As informações são da Agência ANSA.

A estimativa está no relatório “Focus On”, elaborado pela Sace, agência de incentivo às exportações da Itália. Segundo o documento, o Brasil não soube capitalizar os benefícios do boom econômico de 2010, da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 e acabou entrando em recessão.

No entanto, apesar do momento difícil ainda enfrentado pela economia brasileira, a Sace prevê que em 2017 comecem a aparecer sinais de recuperação. Segundo a agência, o Brasil possui uma estrutura econômica diversificada, recursos naturais, renda per capita alta, sistema financeiro sólido e dívida externa equilibrada.

Por outro lado, de acordo com a agência italiana de incentivo às exportações, o Brasil ainda convive com problemas de corrupção, carência de mão de obra qualificada, baixos níveis de produtividade, burocracia lenta e protecionismo. Pelas previsões do governo de Michel Temer, o Produto Interno Bruto (PIB) nacional deve fechar 2016 com queda de 3,5%.



menu
menu