Após inspeção, o México autoriza 154 granjas brasileiras a exportar ovos férteis para o país

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebeu na semana passada comunicado do serviço sanitário do México (Servicio Nacional de Sanidad y Calidad Agroalimentaria – Senasica), informando que 12 empresas brasileiras, fornecedoras de ovos férteis, poderão exportar o produto ao mercado mexicano. São 154 granjas de todo o país. A decisão resultou de inspeção realizada no Brasil por veterinários daquele país, entre os dias 19 e 28 de setembro do ano passado. A autorização para a exportação é valida até dezembro de 2018.

O comunicado destacou que os estabelecimentos inspecionados atenderam integralmente normas sanitárias do Mapa para reduzir (mitigar) o risco associado à negociação desse material genético, que são exigidas também pelas autoridades mexicanas.

Segundo a coordenadora de Trânsito e Quarentena Animal do Mapa, Judi da Nóbrega, “a decisão do México mostra o resultado dos esforços do serviço veterinário oficial e dos produtores brasileiros na proteção dos plantéis avícolas, principalmente contra a influenza aviária, que atinge 40 países, em todos os continentes. Demonstra também o reconhecimento internacional da atuação do Departamento de Saúde Animal do ministério, no tocante á execução dos procedimentos de certificação sanitária firmados para fins de exportação de material genético avícola".

“A ampliação do número de granjas e de incubadoras avícolas brasileiras aptas a exportar ovos férteis para o mercado mexicano, reafirma a consolidação do Brasil como plataforma exportadora de material genético. Esses produtos são capazes de desenvolver linhagens avícolas que apresentam excelentes índices de produtividade”, observou Judi da Nóbrega.



menu
menu