Raul Jungmann projeta aumento das exportações brasileiras de equipamentos de defesa

Brasília – O ministro da Defesa, Raul Jungmann vê grandes possibilidades de o Brasil aumentar suas exportações de equipamentos de defesa brasileiros e em especial avião Embraer KC-390, de transporte de cargas, e que será apresentado a países como a Suécia, República Tcheca, Polônia e Eslováquia.

De acordo com o ministro Jungmann, o Brasil fabrica ainda radaraes, que despertaram interesse da França, sonares e submarinos. “O [submarino blindado] Guarani é uma boa oportunidade, é um equipamento relacionado à tecnologia de alta intensidade com potencial enorme”, disse.

Ao participar nesta terça-feira (30, em São Paulo, do Forum Brasil Investimentos 2017, em São Paulo, o ministro Raul Jungmann, defendeu, que grupos estrangeiros participem do projeto do KC 390. A manifestação foi feita durante audiências ao CEO da empresa sueca SAAB, Hakan Buskhe, e o vice-presidente da empresa americana Rockwell Collins, Alan Prowse.

“A Embraer vem me convidando para voar no KC 390 e eu estou pensando em convidá-los para voarem comigo”, disse o ministro aos dois executivos em reuniões que ocorreram em separado.

Nesta quarta-feira (31), Jungmann participa de painel no âmbito do Fórum, que conta com mais de 260 empresários inscritos, entre brasileiros e estrangeiros. Por isso, Jungmann explicou, nas duas audiências, que o governo federal vem buscando estruturar a legislação que permita os investimentos de conglomerados estrangeiros.

Para o ministro, o incremento do cargueiro KC 390 será de suma importância. Na conversa com o executivo da SAAB, explicou que o Brasil vem desenvolvendo parceria no caça Gripen e deseja que a empresa sueca também entre no programa do avião de carga. Jungmann informou também que busca outros parceiros na Colômbia e na Índia.

Jungmann esteve na cerimônia de abertura do seminário Brasil Investimento Fórum 2017. Aberto pelo presidente Michel Temer, o evento atraiu investidores de mais de 40 países. Em discurso, Temer defendeu a continuidade de investimento no Brasil e assegurou que o governo dará todas as condições para que as empresas continuem apostando no Brasil.

Nas conversas com investidores, o ministro Jungmann explicou que no segmento de defesa tem se criado ambiente favorável para investimentos. Ele recordou que, ainda neste ano, o BNDES anunciou uma linha de crédito destinada a financiar governos estrangeiros que desejam parcerias com programas brasileiros.

Nesta quarta-feira, além do painel no fórum, o ministro irá conversar com diversos executivos de conglomerados internacionais.

O ministro destacou ainda algumas possibilidades de exportação de equipamentos de defesa brasileiros. Segundo ele, a aeronave Embraer KC-390 será apresentada a países como Suécia, República Tcheca, Polônia e Eslováquia.

Há ainda radares, que despertaram interesse da França, sonares e submarinos. “O [submarino blindado] Guarani é uma boa oportunidade, é um equipamento relacionado à tecnologia de alta intensidade com potencial enorme”, disse.



menu
menu